Historial

Neste momento, contamos com 22 colaboradores, entre os quais 3 técnicos superiores na área agrícola. A nossa produção actual é cerca de 3,5 milhões de plantas por ano, sendo cerca de 80% para exportação. Dispomos de 2.5ha de área coberta, 1.5ha de ar livre e 10ha de campos de plantas-mãe, trabalhando com cerca de 750 variedades.
Como se pode constatar, apesar de a Raiz da Terra ser uma empresa relativamente recente, já começa a ter alguma solidez, não só no mercado nacional e espanhol, mas também no mercado holandês e francês. Este aumento de abrangência de mercados deve-se, essencialmente, ao carácter inovador da empresa, quer ao nível produtivo, quer ao nível da gestão.
O nosso objectivo principal é fortalecer e consolidar os mercados existentes e crescer gradualmente em novos mercados dentro da EU. Para atingir tal objectivo, a nossa estratégia é manter a nossa boa relação de qualidade/Preço introduzindo alguns produtos inovadores, nomeadamente novas variedades de plantas e novas formas de apresentação. Desta forma, pensamos poder continuar com um crescimento sustentado nos próximos anos.

2016
2012

Empresa ganha estatuto PME líder.
Representante da empresa – ganha prémio jovem agricultor (Prémio Agricultura 2012).

 

2007
2006

Tornou-se líder de mercado na Galiza (Planta jovem de exterior).
Representante da empresa – finalista do concurso jovem agricultor promovido pelo programa agro e pela AJAP (Menção honrosa).

2005

A empresa tornou-se líder de mercado em Portugal (Planta jovem de exterior).

Início das vendas para a Holanda.

2004

A produção passou a ser mais intensiva e metódica.

2003

Começou a produção, ainda numa fase experimental.

2001

Com o conhecimento e experiência dos membros da equipa no sector das plantas ornamentais, era percetível a crescente importância e o grande potencial da produção de ornamentais de exterior na nossa região. Contudo, para dar início a este projecto, seria necessária uma grande especialização e as vendas deveriam estar também, direccionadas para o mercado externo.

Após esta fase de diagnóstico, surgem as três questões chave do processo:
O que fazer ?
A resposta a este ponto foi relativamente fácil, ir de encontro com as necessidades de mercado. Para possibilitar a satisfação dessas necessidades era crucial encontrar parcerias, nomeadamente no que se refere à comercialização, uma vez que nesta face da cadeia é necessário muito profissionalismo e especialização.
Como fazer ?
A experiência e os conhecimentos técnicos da equipa aliados à colaboração de fornecedores, clientes, parceiros e entidades públicas, eram elementos de grande importância para se conseguir produções de excelente qualidade.
Onde fazer ?
Esta seria a questão mais complicada de responder. Uma vez que nesta região, os terrenos são de pequena dimensão e com preços por m2 especulativos. Após a aquisição dos terrenos com as características necessárias, foi possível continuar a marcha e apresentando um projecto, que se pretendeu, desde o início, vir a ser um modelo na região.